ONLINE
2
Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.
  The best bookmakers at: I want to seize these offers now!

Como ter segurança financeira

Como ter segurança financeira

Em qualquer investimento que se possa fazer, é necessário fazer uma gestão cuidada e ter uma estratégia que possa render ganhos e estabilidade. Não serve de nada ficar sentado à espera que as coisas simplesmente aconteçam como que por milagre.

por Josué Ramos   |   comentários 0

Aviso: Este artigo tem como objetivo auxiliar qualquer pessoa a ter segurança financeira em qualquer investimento que faça, dentro ou fora do mundo das apostas desportivas. Não incentivo ninguém a deixar o seu emprego ou qualquer coisa semelhante. Todas as dicas aqui colocadas são meios de conseguir estabilidade sobre um tipo de investimento qualquer e nada mais que isso.

Ouço frequentemente o seguinte comentário sobre as apostas desportivas: "É um meio onde não se tem segurança nem estabilidade financeira", pelo que surge a dúvida sobre se há alguma verdade nesta afirmação.

Sempre disse que para obter alguma estabilidade nas apostas desportivas é necessário ter dinheiro e sapiência. Será que tens ambos? 

Alguns têm dinheiro e não sabem o que fazer com ele, enquanto outros têm inteligência mas falta-lhes dinheiro. Nada é perfeito! Mas vejamos como se pode ter alguma segurança financeira nas apostas desportivas.

Pensa um pouco. Se trabalhas para alguma empresa há 5 anos, por exemplo, terás alguma segurança relativamente a um possível despedimento, o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Além disso tens vários benefícios laborais, isto pelo menos no Brasil, pelo que naturalmente pensarás que é financeiramente mais seguro trabalhar nessa empresa. Mas o que é que te faz acreditar nessa segurança financeira? Pensa um pouco, é simples, tudo envolve cobrança e rendimento de juros. Pode parecer grego agora, mas vou simplificar tudo.

Basicamente o teu patrão recolhe o fundo de garantia do tempo de serviço sem mexer no teu salário, 8% do valor bruto sobre os teus ganhos, incluindo horas extra, adicionais (noturno, periculosidade e insalubridade), 13º mês, férias (salário + 1/3) e aviso prévio (trabalhado ou indemnizado), e deposita até o dia 7 do mês subsequente, numa conta bancária aberta em nome do trabalhador na Caixa Económica federal. Este fundo tem atualmente um rendimento anual de 3%, mas poderá sofrer ajustes conforme novas leis, que já estão a ser discutidas, e pode chegar a 6% em 2016.

Para além do FGTS, há outros recursos, alguns já mencionados, como o 13º mês, subsídio de férias, eventualmente um seguro de saúde, tudo o que o sistema pode fazer para te dar a sensação de que estás seguro. Tudo isto mantém o sistema em funcionamento, mas com toda a sinceridade, a liberdade financeira está muito longe disso. Isto não pretende ser nenhum incentivo para ninguém deixar o emprego, é apenas uma crítica ao sistema.

Agora outra questão que surge é: Não seria possível reproduzir tudo o que o sistema faz por ti? Isto é, todos estes benefícios podem ser reproduzidos por conta própria, eventualmente até alguns benefícios extra? Mais uma vez tal não deve ser encarado como um incentivo para ninguém deixar o emprego, é possível fazê-lo apenas como investimento extra, o que na verdade é o mais indicado.

Passo agora a explicar como faço atualmente a minha gestão financeira.

Quando termina a temporada, um ano de trabalho nas apostas, faço o balanço e vejo quanto ganhei ou perdi em relação à banca inicial da temporada. O resultado desse cálculo ainda é o valor bruto, que terá de ser dividido em várias parcelas. Poderia fazer isto em relação a qualquer outro investimento ou empresa, e a verdade é que o faço, pois tenho outros investimentos para além das apostas.

Depois de encontrar o valor bruto ganho na temporada, partindo do princípio que foi uma temporada positiva e fechei o ano com lucro, pois fechar o ano com perdas é algo até utópico, ainda mais para um profissional no mercado. Repito, profissional no mercado e não quem começou ontem nas apostas. Vamos então calcular as parcelas. Abaixo apresento uma lista das parcelas que costumo calcular.


1. Percentagem que irá manter-se na banca de apostas, com o objetivo de aumentar o valor disponível para apostar. Isto varia conforme o perfil de apostador, no meu caso deixo 20% de tudo o que ganhei. Antigamente deixava muito mais (este tipo de movimentos pode dar-te as ferramentas de que precisas para no futuro aumentares os teus ganhos anuais).


2. Agora tiro 15% de tudo o que sobrou, o equivalente a um fundo de garantia do tempo de serviço e também a uma previdência privada. A grande vantagem aqui é que podem fazer este dinheiro render juros, sendo a longo prazo uma alternativa mais rentável do que uma previdência privada.

Este movimento é uma jogada genial, pois dependendo do valor com que operas, esse dinheiro pode ser aplicado noutros investimentos de baixo risco, como adquirir prédios comerciais para alugar, LTN (Letras do Tesouro Nacional), LTF (Letras Financeiras do Tesouro), LCI (Letras de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), sendo que neste caso tens até isenção do imposto de renda, até mesmo o recolhimento de alugueis abate alguma quantia no IR. Discute as vantagens e desvantagens com o teu contabilista.
Lembra-te que o FGTS rende atualmente cerca de 3% ao ano, por isso terás a oportunidade de aplicar este dinheiro em algo que renda mais, ou em poupanças, se quiseres perder dinheiro (risos), pois a poupança não é claramente a melhor escolha.

O que fiz eu ao longo destes anos? Investi no câmbio e tive excelentes resultados, diga-se de passagem, pois ultrapassei os 40% anuais de rendimento e investi em prédios comerciais e agora tesouro direto. Este dinheiro será um dia a minha reforma com estilo, ou ficará para a minha família. Seja como for, penso no futuro e na segurança e creio que tudo se encaminha para uma zona bem segura com este método.

Lembra-te que este dinheiro todo é para daqui a muitos anos. Por isso pega no rendimento dos alugueis, se for o caso, e coloca-o numa poupança. Tira-o só quando o valor for considerável, o que num ano já será, e aplica-o noutro investimento. Lembra-te também que há muitos outros tipos de investimentos que implicam riscos diferentes, cabe-te a ti escolher qual o mais indicado para a tua situação financeira atual. Eu já pretendo fazer alguns investimentos de maior risco no próximo ano, como fundos imobiliários, assim como investir mais em câmbio e alugueis, já que até agora isto tem dado certo.

O meu conselho extra aqui é que só deves tirar dinheiro de uma casa de apostas ou carteira virtual quando souberes exatamente o que vais fazer com ele. Além disso só deves tirar o necessário. Deixar algo a render no câmbio é sempre uma boa alternativa.


3. Agora vem um movimento importante, pois mexe com o imposto de renda e terás de saber a tua situação relativamente a este imposto antes de dar qualquer passo. Quem usa o MEI para algum tipo de serviço no Brasil fica isento de até 60 mil reais no IR, fica a dica para quem usa o MEI e aposta. Já outros que possuem algum emprego, ou já pagam o IR por ganhos de alguma outra função, terão que ver as suas situações diretamente com os seus contabilistas.

No meu caso o que faço é ver com o meu contabilista todas as deduções que vou ter no IR, seja por doações, aluguéis, etc... e depois vejo quanto tenho que pagar e para realizar esses pagamentos uso o carnê-leão. Depois de terminar estes cálculos, separo do lucro que restou a quantia que vou pagar de IR. Não é nada complicado.


4. O quarto passo, o mais simples e assustador, é fazer a divisão anual do lucro que restou em 14 partes. Esta divisão representa os doze meses de salário, mais o décimo terceiro mês, o que nos dá 13 divisões, para além de uma outra fundamental, que corresponde ao subsídio de férias que terias ao trabalhar numa empresa, que será do mesmo valor que as outras, mas que tal como o décimo terceiro mês não terá abatimento por contas, INSS e outros fins, como INSS, seguro de vida, plano de saúde, seguro do carro, água, luz, internet, IPTU, IPVA, etc...

Então a divisão que faço é de 14 parcelas. Costumo sacar isto a cada 3 meses, um período que fui ajustando conforme as minhas necessidades. Costumo sacar e deixar na conta corrente/poupança unificada no meu banco. A outra parte deixo em alguma casa de apostas de confiança ou numa carteira virtual.

Esta divisão em 14 parcelas deve-se ao fato de habitualmente gastar tanto quanto ganho, pelo que ter algum dinheiro extra no final do ano é sempre bom, para além de que serve para alguma emergência.

Para simplificar ainda mais este passo, darei um exemplo. Digamos que sobrou de todo o abatimento anterior cerca de 100 mil de lucro. Dividindo este valor em 14 partes iguais:

(100.000 / 14 = 7.142,85)

Estes 7.142,85 correspondem a um salário em 14 parcelas ou uma simples renda extra. Sendo que duas destas parcelas seriam livres de impostos, conforme mencionado anteriormente.


5. Este movimento é outra parte fundamental. Aqui vamos pagar o INSS e outros seguros. Quando pensei em ter alguma estabilidade, a primeira ideia que me ocorreu foi fazer um seguro de vida. Pesquisei bastante e encontrei um bem em conta no meu próprio banco. Isto é uma segurança extra para a minha família e algo que considero indispensável.

Outro seguro essencial é o do veículo, pois se tens um carro tens de ter seguro, seja o carro pago ou financiado. Se o carro tiver sido muito caro e tiveres financiado esse veículo, o seguro é obrigatório, mas noutros casos é mais uma questão de segurança financeira.

Outro fato: um carro para passeio não é um investimento. Desempenha uma única função, que é levar-te de um lugar para o outro. Por isso acho que o valor de um carro não deve ultrapassar 25% do rendimento anual. Porém isso acarreta evolução. Por exemplo, se ganhas 100 mil por ano e adquiriste um carro de 25 mil a pronto, estás no limite dos gastos anuais com o teu carro. Mas se ele já está pago, no ano seguinte podes entregá-lo como entrada, ou vendê-lo e usar o dinheiro para comprar um carro novo. Se continuares a ganhar 100 mil por ano terás sempre 25 mil para novos gastos. Mas o que acontece hoje no Brasil é outra coisa, as pessoas endividam-se para adquirir algo que começa a perder valor assim que sai do stand. Burrice total!

Um seguro de saúde é outro investimento essencial, ainda mais no caso de quem tem filhos.

Outra precaução fundamental é deixar documentos com e-mails, senhas, acessos a contas e o passo a passo de como resgatar certas quantias de casas de apostas, carteiras virtuais, bancos, fundos de investimento, a certas pessoas de confiança. Não é necessário dar-lhes estes documentos, mas sim guardá-los num cofre, por exemplo, para que essas pessoas, em caso de falecimento, possam fazer a tua vontade. Se tiveres um advogado tanto melhor, podes deixar tudo isto juntamente com um testamento. Mais dia menos dia todos vamos morrer, isso é certo, por isso é necessário ser inteligente e não deixar para as casa de apostas todo o teu dinheiro conquistado com muito estudo, enquanto a tua família chupa no dedo.


Agora para finalizar, deves perceber que uma gestão anual te dá a segurança de um salário fixo, o que nem o trabalho numa empresa normal te dá, isto parte de qualquer investimento. Tenho amigos que vivem de aplicações e juros desta forma, mas isto implica capital e uma certa estabilidade, não se pode pensar em largar o emprego e correr atrás de algo assim. Deve ser encarado apenas como uma renda extra, isso é o certo, com o tempo poderás colher bons frutos. Estudei muito sobre previdência privada há algum tempo atrás e cheguei à conclusão de que há outros tipos de investimentos mais rentáveis, sendo que são para longo prazo. Assim poderás ter esse dinheiro quando precisares, para comprar uma casa ou trocar de carro, ou fazer algum investimento. Muitos destes fundos dão-te alguma liberdade, como investimento de prazo anual, ou de 3 anos, tempo muito hábil.

Espero ter explicado bem as coisas para que percebas como tudo isto se pode tornar muito rentável. Implica um investimento grande de tempo e dinheiro, não digo o contrário. Não se trata de um mercado simples no qual qualquer um sem estudo prévio pode ter sucesso. Não quero iludir ninguém e muito menos tirar as esperanças a outros. É possível fazer dinheiro neste mercado e com cautela e estudo podes ir longe, acredita, basta manter o foco e o controlo emocional.

Traça um plano e cria metas, não diárias mas de longo prazo. Cria meios para atingir essas metas, sem pressão. Avança devagar e com cautela. Não tenhas pressa e não desvies o foco, pois se tudo for bem planeado, quando a hora da colheita chegar, aposto que terás bons frutos.

Lembra-te: se fosse fácil qualquer um o conseguiria e o mérito seria apenas uma palavra sem sentido. Não te subestimes e nunca penses em desistir.

Espero que tenhas gostado deste artigo. Um grande abraço!

 

Partilhar "Como ter segurança financeira" via:

Enviar Comentário

Comentários (6)


  1. migsports21 29 Dez 2015 - 22:23
    Gostei. Bem estruturado.
  1. pokerQ4 29 Dez 2015 - 23:12
    Se o escritor conseguuir adaptar o artigo a realidade ou alguem seria uma maior valia.
  1. Gilles 30 Dez 2015 - 00:51
    Muito bom artigo, Josué Ramos.. Mesmo sendo mais especificamente para o Brasil

    Basicamente é como se diz: Dinheiro faz dinheiro

    Boas Apostas & Bons Investimentos*

    Cmpts,
    gilles
  1. Sr. Reis 30 Dez 2015 - 10:16
    Excelente artigo, revejo-me nesse mind-set, e retiro ensinamentos para o futuro.
    obrigado
  1. Josué Ramos 06 Jan 2016 - 14:35
    O Artigo descreve exatamente o que eu faço. Mas é a minha realidade no Brasil. aqui pagamos muito mais impostos do que qualquer pessoa no mundo, creio que em outros países, com o conhecimento certo em fundos de investimento, se consegue ter uma boa estratégia de investimento, melhor que a de qualquer brasileiro.
  1. guigo1986 19 Jan 2016 - 13:56
    Génio....Muito bom mesmo.